Lágrimas da Memória

A saudade dilui-se no mar da alma
Destilando orvalho no jardim da dor
Reconstrói o sofrer da lembrança distante
Desenha flores roxas na neblina
Enquanto chora a memória flor

A saudade banha-se nas faces do luar
Reluz no olhar da imensidão
Como folhas soltas ao vento
Qual encantos de lágrimas errantes

A saudade escancara gritos surdos
Agrilhoa sentimentos intocáveis
Qual imagens etéreas presas no vento
Esvoaçando na viajem do sonhar

A saudade corre em trilhas escuras
Pelas frestas de muralhas de orquídeas
Expulsa calmarias repentinas
Em lúcidos devaneios do olhar:

Brinda o ocaso da existência

*ATENÇÃO: esta obra é protegida pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/989) e foi registrada. É permitida a publicação em sites e blogs desde que citado o autor e a fonte com link. Para publicações em livros e e-book pagos, envie um e-mail para aldairars60@gmail.com para receber a autorização gratuita para publicar.

**As fotos foram retiradas do Google. Se você é o dono de alguma delas, entre em contato, para que possamos dar os devidos créditos.

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s