Incidente processual

Aconteceu há alguns anos atrás. Era época do processo físico ainda e o processo eletrônico ainda engatinhava. O fórum fervilhava de poeira e… baratas. Pilhas e pilhas de processos se amontoavam nas mesas, do escrivão ao juiz. O ruído do carimbo de “Folhas” ecoava em batidas monótonas nas folhas a serem numeradas. A morosidade era o tom da Justiça. Despachos repetitivos e amarelados eram entranhados nos processos. A Justiça era de papel e burocrática.


O Promotor acha uma barata esmagada dentro de um processo. O inseto estava inerte, seco, grudado, nojenta como toda barata. O Promotor, vendo o inseto repugnante, escreve um despacho indignado ao juiz alertando sobre a insalubridade do fórum, sobre o significado filosófico da barata e, por fim, sobre a barata esmagada como um incidente processual que atenta contra a dignidade do Poder Judiciário. Não era possível que tenha recebido um processo naquelas condições. Não era possível que o fórum estivesse naquelas condições. Isso poderia ocasionar doenças aos próprios servidores, visto que a repugnante criatura poderia ser portadora de patógenos que deixavam em perigo a saúde humana. Antes de tudo era uma situação de saúde pública, uma afronta a dignidade humana, uma vergonha ao judiciário e até um atentado contra a ordem pública do país e a dignidade das pessoas. Situação digna de ser mencionada nas cortes internacionais, visto que o inseto referido era cosmopolita e situação semelhante poderia estar ocorrendo no mundo inteiro.


Claro que o Promotor usou mais outras palavras do juridiquês para dizer que a barata era, data vênia, uma “excrecência” processual inaceitável. E enviou o despacho-desabafo ao juiz.


O juiz leu atentamente e com respeito o despacho, e escreveu uma decisão concisa.
“O MM juiz Fulano de Tal, no uso de suas atribuições e etc., decide:
Desentranhe-se a barata do processo.
Publique-se. Registre-se. Cumpra-se.”

*ATENÇÃO: esta obra é protegida pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/989) e foi registrada. É permitida a publicação em sites e blogs desde que citado o autor e a fonte com link. Para ser publicada em livros e e-book pagos, envie um e-mail para aldairars60@gmail.com para poder receber a autorização gratuita para a publicação.

**As fotos foram retiradas do Google. Se você é o dono de alguma delas, entre em contato, para que possamos dar os devidos créditos.

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s