Poemeto para a cadeira

Quatro pernas
Que sustentam o mundo
Em trabalhos,
Em descanso profundo ou…
Traquinagens…

Antigas… modernas…
Quatro pernas…
Quatro sinas e uma benção!

As sinas?
Não vê…
Não houve…
Não fala…
Recebe tapas de traseiros…

A benção?
Não sente cheiro!!

Poesia selecionada e publicada na antologia nacional “Palavras desavisadas de tudo”. São Paulo: Editora Scortecci, 2013.

*ATENÇÃO: esta obra é protegida pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/989) e foi registrada. É permitida a publicação em sites e blogs desde que citado o autor e a fonte com link. Para ser publicada em livros e e-book pagos, envie um e-mail para aldairars60@gmail.com para poder receber a autorização gratuita para a publicação.

**As fotos foram retiradas do Google. Se você é o dono de alguma delas, entre em contato, para que possamos dar os devidos créditos.

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s