Poemeto para a cadeira

Quatro pernas
Que sustentam o mundo
Em trabalhos,
Em descanso profundo ou…
Traquinagens…

Antigas… modernas…
Quatro pernas…
Quatro sinas e uma benção!

As sinas?
Não vê…
Não houve…
Não fala…
Recebe tapas de traseiros…

A benção?
Não sente cheiro!!

Poesia selecionada e publicada na antologia nacional “Palavras desavisadas de tudo”. São Paulo: Editora Scortecci, 2013.

*ATENÇÃO: esta obra é protegida pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/989) e foi registrada. É permitida a publicação em sites e blogs desde que citado o autor e a fonte com link. Para ser publicada em livros e e-book pagos, envie um e-mail para aldairars60@gmail.com para poder receber a autorização gratuita para a publicação.

**As fotos foram retiradas do Google. Se você é o dono de alguma delas, entre em contato, para que possamos dar os devidos créditos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s