“Cartas para infernizar – Carta 1 – Os tipos humanos”

Desquerido Podreshelsys

Saudações maléficas

Quero parabenizar-te pela conclusão dos estudos na Faculdade de Artes Maléficas. Agora vem o seu estágio. Bem sabes que só receberás o diploma se colocares em prática tudo o que aprendeste na teoria, isto é, achar um paciente humano, atentá-lo, e mantê-lo consigo até entregá-lo no nosso maravilhoso lar: o Quinto dos Infernos.

            Como ainda estás a procura de seu humano, vou orientar-te mostrando que tipo poderá ser teu paciente em potencial. De acordo com Manual da Tentação, quanto à sua fé, os humanos são classificados em três tipos básicos: os céticos, os de cima do muro e os religiosos, cada tipo com suas infindáveis subdivisões (cada dia aparecem mais!).

            Os céticos são nossos. Sua característica principal não é não crer, é crer em si mesmos. Sua religião é pensar que não crêem e seu trabalho de tentador é mantê-los pensando assim. Aqui acharás os ultrarracionais e os intelectuais em geral. Caso escolhas um destes, seu local de trabalho principal será no Velho Mundo, a Europa, nas Universidades e nos órgãos governamentais que lidam com a Educação.   

Os de cima do muro não sabem em que crêem, embora pensem que sabem. Pulam de doutrina em doutrina, de igreja em igreja e de pecado em pecado, sem mudança de vida. De modo geral são humanos indecisos quanto a crer. Até frequentam igrejas, mas não querem compromisso, mandam os filhos, mas não querem para si. Seu lema ajuda o nosso trabalho: “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. Sua tarefa é mantê-los assim ou transformá-los em céticos. Estes do muro também são nossos, mas nem todos, por causa da sua fé incerta, o Opositor do nosso Reino quase sempre os tira de cima do muro levando-os para o Seu lado de luz. Aí é impossível trazê-los de volta, uma vez que sua fé se torna firme e inabalável (lamento o assunto desagradável!).

            Os religiosos são humanos que frequentam igrejas rigorosamente, mas não pertencem ao nosso Opositor. Servem a um conjunto de regrinhas religiosas, as quais a maioria constam no nosso Manual do Santarrão (não constam todas as regrinhas porque os humanos são muito criativos para inventar essas coisas!). Eles enganam a si mesmos achando que servem ao nosso Opositor, quando na verdade servem a si mesmos.
Mantenha-os enganados, mas tenha cuidado, pois estarás no mais terrível campo minado do nosso Opositor: a Igreja. Por fim, te faço advertência, falando de um assunto de máxima seriedade. O nosso Opositor insiste em amar qualquer um desses tipos e seus subtipos (é claro que Ele tem um outro motivo escondido, pois todo diabo sabe que amar é uma impossibilidade fática e espiritual no Universo!). Por isso, tende cuidado e toma todas as precauções ao escolher teus pacientes, pois um deles pode voltar-se contra você, com intervenção contundente do Opositor. Aí estarás em apuros e nada do que aprendestes na Faculdade o ajudará.

Aguarde novas instruções.
Com descarinho, seu tio Malevotinsky.

ATENÇÃO: esta obra é protegida pela Lei de Direitos Autorais(Lei 9.610/989) e foi registrada. É permitida a publicação em sites e blogs desde que citado o autor e a fonte com link. Para ser publicada em livros e e-book pagos, envie um e-mail para aldairars60@gmail.com para poder receber a autorização gratuita para a publicação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s